Vida cristã, corrida de 100 metros e a maratona.

Lendo a bíblia, eu percebi uma coisa que a principio, parece desanimador A maioria dos grandes heróis da fé teve um péssimo fim. A bíblia é repleta de homens que realizaram coisas impressionantes, uns venceram grandes exércitos, outro sufocou um leão, outro adquiriu extrema sabedoria, e por ai vai. Tudo seria perfeito, se a maioria destes homens não tivessem terminado mal. Ao longo do tempo, muitos deles foram saindo da direção de Deus.

Salomão foi o homem mais sábio que já ouve, mas no fim da vida, adorou outros deuses, e possivelmente teve relacionamentos até com outros homens. Sansão arrancou os portões da cidade, fez demonstrações de força, mas terminou os últimos dias de sua vida, moendo grãos numa prisão inimiga. Estes homens se esfriaram, perderam o foco, e alguns podem ter perdido até a salvação da alma. Então eu pensei: “Se os grandes heróis da fé passaram por isto, então ninguém está isento deste risco, inclusive eu”. Depois pensei:

“Eu posso pregar o evangelho a muitas gentes, levar inúmeras pessoas até Jesus, ajudar a recuperar drogados, a restaurar casamentos destruídos, em fim, posso dedicar a minha vida toda ao evangelho, mas se depois, eu me perder, tudo o que eu fiz, será reduzido a nada!”

Se eu garantir ao justo que ele vai viver, mas ele, confiando em sua justiça, fizer o mal, nada de justo que fez será lembrado; ele morrerá por causa do mal que fez. (Ezequiel 33:13)

E o mesmo se aplica a todos os cristãos, pois se os maiores homens da bíblia caíram, então ninguém está isento, todos estão sujeitos.

Desta analise, eu percebi uma coisa, a vida cristã, não é uma corrida de 100 metros, mas sim, uma maratona. E qual é a diferença? Na corrida de 100 metros, você tem que colocar toda a força logo no começo, pois trata-se de uma corrida curta, a intenção é sair na frente. Já na maratona, se você colocar toda a força no começo, vai faltar folego no final, então você vai disparar na frente, mas depois vai ficar para trás. Na maratona, você tem que administrar a força para poder se manter bem até o fim.

Veja que, na para bola do semeador, a semente que caiu entre pedregais, cresceu mais rápido, que a semente que caiu na terra boa. Na igreja, eu tenho percebido isto, aquele que chega hoje e já quer ser obreiro amanhã, e chega querendo evangelizar, pregar, cantar, fazer de tudo, normalmente morre na fé, sem vingar, ou seja, nem chega a produzir.

Quanto ao que foi semeado em terreno pedregoso, este é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria.

Todavia, visto que não tem raiz em si mesmo, permanece por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandona. (Mateus 13:20-21)

Meus amigos pastores, devem concordar comigo, que quase sempre, melhores obreiros que nós temos dentro das igrejas, são aqueles que se entregaram a obra lentamente.

Caro leitor, não fique ansioso para fazer coisas extraordinárias para a obra de Deus, pois estas pessoas se esquecem do mais importante que é servir. Lembre-se de Marta e Maria, Marta estava tão ansiosa em servir Jesus, que nem parou para ouvi-lo, e eu afirmo que tem muita gente na igreja caindo no mesmo erro.

Então, nunca se esqueça disto, a vida cristã é uma maratona e não uma corrida de 100 metros, vá com calma, administre a sua fé, e mantenha-se firme até o fim da corrida, se preocupe mais em terminar bem, do que em começar. O que vale é o fim!

Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,

Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. (Filipenses 3:13-14)

Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. 2 (Timóteo 4:7)

Na fé, Bispo Dario Garcia